Turismo

PRINCIPAIS DESTINOS TURÍSTICOS


Apresentamos-lhes a seguir os principais destinos e lugares turísticos da Bolívia, os mesmos que estão sendo promovidos através do Vice-ministerio de Turismo:

SALAR DE UYUNI

SALAR DE UYUNI Desertos Alvos, lagoas de Cores.

Localizado ao sudeste da Bolívia, "O Salar de Uyuni" é a maior planície salgada do mundo, com uma superfície de 10.582 km2, e a uma altitude de 3.653 metros sobre o nível do mar. Contém uma reserva de nove milhões de toneladas de lítio e outros minérios. Esta região semidesértica e de terras vulcânicas, encerra em seu interior recursos de grande importância econômica e paisagens de extraordinária beleza natural. O Salar de Uyuni e as Lagunas Colorada, Verde, Amarela e Celeste, são seu melhor expoente; cujos nomes são atribuídos às diferentes tonalidades de cores que expõem.
Alem disso, estão os espetaculares gêiseres, formações rochosas e poços vulcânicos que remontam ao visitante à época da formação da terra. Dirigir ou conduzir no meio deste mar de sal é uma experiência extraordinária, sobretudo durante o inverno, quando o azul intenso do céu contrasta com o alvo brilhante da crosta de sal. Quando há névoa se produz o efeito "*White-out", onde o horizonte se esfuma até desaparecer, fazendo impossível diferençar a terra do céu.

Sítios de Interesse:

Povoado de Uyuni
Localidade na qual se encontra "o cemitério de comboios" que exibe os restos mais importantes de maquinaria do trem do ano de 1890.

Pulacayo
Localizada a 22 quilômetros da população de Uyuni. No final do século XIX foi o centro de produção de prata mais importante do país. Assim mesmo, é o lugar onde se promulgou a internacionalmente conhecida "Tese de Pulacayo" que reivindicava os interesses da classe operária. Neste lugar exibem-se os restos do primeiro trem que operou na Bolívia.

Colchani

população de Colchani, conhecida também como "Porto Seco", é o acesso principal à região. Está localizada a 22 quilômetros do povoado de Uyuni, na orla do grande deserto salgado. É o centro de extração de sal.
O visitante pode apreciar rústicas moradias construídas com adobe, blocos de sal e telhadas com palha brava selvagem, materiais que permitem conservar o calor e enfrentar as baixas temperaturas que se registram na região.
A palha selvagem na zona faz que o pastoreio de lhamas, vicunhas e outras espécies de mamíferos seja permanente.

Reserva Nacional Eduardo Avaroa

Localizada ao sul do Departamento de Potosí, alberga extraordinárias lagoas de cores: Laguna Colorada e Laguna Verde, gêiseres e poços geotérmicos de surpreendentes formas e grande diversidade de flora (102 espécies). Este incrível ecossistema permite apreciar uma interessante fauna endêmica como a Soca Cornuda e o flamengo James que convivem com as variedades de flamengos Andinos e Chilenos.

Ilha Pescado

A Ilha Cujiri, mais conhecida como Ilha Pescado, está localizada a 74 quilômetros de Colchani, no centro mesmo do Salar de Uyuni. Tem uma extensão de 100 hectares de aprazível pitoresco paisagem.
Sua superfície de granito e terra orgânica permitiu que uma espécie de cáctus gigante (6 metros de altura) tenha desenvolvido um ecossistema interessante.
No cume da Ilha há uma gruta, nela podem-se apreciar as diferentes camadas geológicas de seu solo. Este é um dos melhores lugares para bater fotografias da ilha e do Salar de Uyuni.

Ilha Incahuasi

A Ilha Incahuasi, conhecida como Ilha Pescadores, está formada sobre os restos de um vulcão, a uma altura de 102 m sobre a superfície do Salar de Uyuni.
Na ilha identificaram-se sete lugares arqueológicos da cultura Tiwanakota, duas ruínas Incas, trinta cavernas, doze túneis naturais e um bosque de cáctus (quirucolumbar, pillaya, piscallu, thulo, huajraguaya, añaguaya, etc.).
Alfredo Lázaro (morador de Llica) vive protegendo a Ilha desde 1987. Tem contabilizado 4.030 cáctus adultos, 5.000 unidades de cáctus em desenvolvimento e 16 cáctus queimados ou ressequidos. A Ilha é ninho de pássaros, vizcachas, etc.
Este é um lugar extraordinário para contemplar a paisagem maravilhosa e bater fotografias.

PARQUE MADIDI

MADIDI Increíble Diversidad Biológica

MADIDI. Incrível Diversidade Biológica.
O Parque Nacional e Área Natural de Gestão Integrada Madidi, é um destino de incomparável beleza natural onde 3.235 espécies de animais convivem em perfeita harmonia com o ser humano.
Esta Área Protegida com grande biodiversidade encontra-se localizada ao noroeste da Bolívia, no departamento de La Paz, aos pés da Cordilheira dos Andes. Sua altitude abarca dos 5.600 m. até os 180 m.
As eco regiões que se observam vão desde a zona alto andina, passando pelos bosques úmidos de montanha, até os bosques úmidos de terras baixas, vales secos mesotérmicos, savanas, montanhas e terras baixas.
Madidi conta com a presença de 867 espécies de aves, 156 espécies de mamíferos, 84 espécies de anfíbios, 71 espécies de repteis e 192 espécies de peixes. Em quanto à flora, registraram-se 1 865 espécies de plantas superiores e 2 873 espécies prováveis. Algumas das espécies aquáticas que podem se observar são as piranhas, as arraias da água doce, - em alguns setores - o golfinho cor de rosa da água doce.
A pampa é muito vistosa pela quantidade de repteis e fauna que se chega a observar. localiza-se 105 km ao norte de Rurrenabaque.

Sítios de Interesse:

Rurrenabaque

É a porta de acesso ao Madidi. É um destino paradisíaco de exuberante riqueza natural onde habitam grupos étnicos importantes.

Rio Beni

Este incrível rio origina-se na beira da Cordilheira dos Andes. Em suas orlas há uma incrível diversidade de madeiras preciosas e oferece variedade de peixes.

San Buenaventura

Nesta população encontram-se assentados os grupos étnicos Chimanes e Tacanas. A 20 km de San Buenaventura encontra-se o "Estrecho del Bala", chamado assim pela velocidade que adquirem as embarcações ao passar o lugar.

Tumupasa

População amazônica indígena, onde a etnia nativa Tacana conserva com o maior apego suas tradições e seus costumes culturais.
San José de Uchupiamonas
Localizada no meio da selva úmida e montanhosa, conta com a maior variedade de flora e fauna da região.

San José de Uchupiamonas

Localizada no meio da selva úmida e montanhosa, conta com a maior variedade de flora e fauna da região.

Chalalán

Povoação localizada no rio Tuichi no Departamento de La Paz. É a base do circuito turístico Chalalán que inclui uma parte do Parque Nacional Madidi, onde a comunidade indígena de San José de Uchupiamonas pretende garantir uma gestão sustentável dos recursos naturais da zona, preservar seu médio ambiente e promover seu desenvolvimento.

O Albergue Ecológico Chalalán está localizado no coração do parque Nacional Madidi. Ingressa-se pela povoação de Rurrenabaque, onde se inicia uma viagem em bote pelos rios amazônicos Beni e Tuichi.


MISSÕES JESUÍTICAS

MISSÕES JESUÍTICAS. Patrimônio Cultural da Humanidade
Este destino turístico de grande riqueza cultural e histórica localiza-se na serrania oriental do departamento de Santa Cruz, a umas seis horas da capital.
Na época pré-colombiana, na região de chiquitos prosperaram várias tribos selváticas que foram evangelizadas pelos missioneiros da Companhia de Jesus, se levantando populações espanholas no meio de uma densa selva. Estas missões conhecidas como "chiquitanas" foram fundadas entre 1691 e 1767.
Seu valor manifesta-se principalmente na arquitetura de seus templos, de estilo barroco mestiço, enfeitado com pinturas murais, altares dourados e preciosos retábulos talhados em madeira dourada, púlpitos, caixaria e impressionantes colunas.
Os Jesuítas chegaram a estas terras com o propósito de realizar o sonho de criar na terra a "Cidade de Deus" e evangelizar aos povoadores nativos.
O alto nível artístico e profundo significado cultural das obras que nas Missões Jesuíticas se realizaram, motivaram à UNESCO às declarar no ano 1991 Patrimônio Cultural da Humanidade.
A riqueza da música barroca, composta e executada nas missões, constitui uma coleção única em América, que dera lugar ao Festival bienal Internacional de Música Renascentista e Barroca "Missões de Chiquitos", que se realiza em Santa Cruz e nos povoados missionários.

Sítios de Interesse:

San Javier

Foi sede de uma escola de música e de uma oficina para a fabricação de instrumentos musicais. A igreja de estilo barroco foi declarada Monumento Nacional e Patrimônio Histórico da Humanidade.

Concepción de Chiquitos

Povo que conservou a singeleza e tranqüilidade de suas ruas, se caracteriza por seu surpreendente variedade de orquídeas.

San Ignacio de Velasco

É o povoado maior da rota missionária. Nesta bela terra as comunidades próximas ainda mantêm vivas as tradições indígenas.

San Rafael

Foi um centro importante de difusão missionária. Encontra-se a orlas do rio Gaubys.

Santa Ana

Foi uma das últimas missões chiquitanas. A igreja, construída pela população indígena, é de tom camponês e de dimensões reduzidas em comparação às demais.

San José de Chiquitos

É o único conjunto missionário construído em pedra.


ANDES E CORDILHEIRA REAL

CORDILHEIRA REAL Tocando o Céu


Encontra-se localizada ao oeste da Bolívia, nos arredores da cidade de La Paz e do Lago Tiitikaka. Seus altos cumes nevados superam os 6 000 metros de altitude. Parte da Cordilheira Real são os Yungas de La Paz, seus pitorescos povoados oferecem um clima agradável e uma paisagem exuberante combinados com culturas vivas que se expressam através da dança e a música executada ao ritmo de tambores, denominada "saya afroboliviana".
A história deixou sua impressão nesta região através dos chamados caminhos pré-hispânicos como o Takesi, o Choro e Yungas Cruz, entre os mais importantes, onde a paisagem se manifesta em todas suas formas, desde montanhas perpétuas até cascatas e árvores frutais.

Sítios de Interesse:

Macizo del Illampu

É o maciço mais importante e mais setentrional. É uma das zonas montanhosas mais belas da Cordilheira dos Andes.

Sorata

Localizada a 148 km. da cidade de La Paz, a uma altitude de 2 711 metros sobre o nível do mar. Por sua beleza e a diversidade de seus eco-regiões este lugar foi considerado por alguns escritores como o "Paraíso Terrenal".

Grupo Condoriri

"O nevado Condoriri" é uma das mais belas cimeiras dos Andes; sua paisagem de neve, rocha e nevoa dão-lhe um caráter místico. Está composto por mais de 13 bicos a mais de 5 000 metros sobre o nível do mar.

Grupo Huayna Potosi

"O nevado Huayna Potosi" é a montanha mais popular da Bolívia por sua cercania com a cidade de La Paz (uma hora e meia de viagem).

Grupo Chacaltaya

A 30 km. da cidade de La Paz, a 5,200 / 5,390 m.s.n.m.. Seu fácil acesso faz que o nevado "Chacaltaya" seja um dos lugares mais visitados.

Grupo Yungas

A Cordilheira Real alberga formosos percursos por caminhos pré-hispânicos, desde 4 640 m.s.n.m. até 220 m.s.n.m. Estes caminhos, pré-colombianos contemplam uma variedade de andares ecológicos ricos em flora e fauna, com rios, lagos e lagoas.

Takesi

Localizado a 40 km. da cidade de La Paz. O caminho pré-hispânico do Takesi representa uma verdadeira obra de engenharia hidráulica.

El Chorro

É um dos caminhos pré-hispânicos mais formosos, se encontra a 70 km da cidade de La Paz.

Coroico

Localizado a 95 km. da cidade de La Paz, a 1 782 m.s.n.m. Apresenta um clima semi-tropical com paisagens atraentes e de singular beleza.

Macizo Illimani

É uma das montanhas mais conhecidas da Bolívia por suas neves eternas. Localiza-se a 103 km. da cidade de La Paz, desde a qual se pode obter uma fabulosa vista do nevado.


CIDADES COLÔNIAS: SUCRE E POTOSI

SUCRE E POTOSI. Riqueza Colonial, Prata e Dinossauros

SUCRE

É a capital do Departamento de Chuquisaca, e também a capital constitucional da República da Bolívia. Localiza-se ao sul do país a 2 750 m.s.n.m. Possui um clima agradável do que se goza o ano todo.
Esta cidade colonial foi declarada pela UNESCO como patrimônio Cultural da Humanidade, por ser museu vivo do que foi a vida da aristocracia colonial espanhola.
Seus arredores são parte de uma região única e especial dentro do território boliviano, com uma pré-história e história que revelam seus atrativos naturais e valores culturais. Seu caráter de capital constitucional fica ainda mais marcado pela presença da Universidade San Francisco Xavier, uma das mais antigas da América.

Sítios de Interesse:

Centro Histórico da Cidade de Sucre, caracterizado por uma arquitetura de estilo colonial que ainda se preserva. Arredores da cidade de Sucre, nos que se destacam o Castilho da Glorieta, os povoados de Yotala, Potolo, Tarabuco, Províncias Oropeza e Zudañez, entre outros.
De muito interesse são os centros paleontológicos. O mais importante é o de Cal Orcko, uma gigantesca parede que possui a caminhada de dinossauros mais longa do mundo. Outros centros paleontológicos importantes são Quila Quila e Patatoloyo.

POTOSI

Situada aos pés do Cerro Rico a mais de 4 000 m.s.n.m. Sua história está estreitamente unida à prata. Em 1650, Potosí era a cidade mais povoada do mundo com uns 160 000 habitantes, mais que Londres, Paris ou Madri, devido à generosidade do imponente Cerro Rico de Potosí que albergou em seu interior as mais cobiçadas vetas de prata do mundo, com cuja produção se poderia ter construído uma ponte entre Potosí e Madri.
Em 1987, a cidade de Potosí foi declarada pela UNESCO Patrimônio Cultural da Humanidade. A cidade permanece intacta, não só em sua arquitetura, senão também no que significa a presença das culturas originarias. Em sua paisagem se destaca o imponente Cerro Rico em combinação com o conjunto de edifícios, igrejas e torres com cobertas características da época colonial.
Vale um Potosí! Frase que estava em moda na Europa do século XVI, que tem origem na Villa Imperial de Potosí e que perdura até nossos dias graças a seus monumentos, museus e edifícios.

Sítios de Interesse:

Cerro Rico de Potosí, Lagunas do Kari Kari, Engenho San Marcos, Casa da Moeda, Igrejas e Conventos da época colonial.

LAGO TITICACA Y TIWANAKU

LAGO TITIKAKA E TIWANAKU. Berço do mundo Andino.

LAGO TITIKAKA

Encontra-se localizado no Departamento de La Paz, a três horas de ônibus da cidade capital do mesmo nome. Conhecido como "Lago Sagrado dos Incas", o lago Titicaca é a superfície navegável mais alta do mundo (3 810 m.s.n.m.), com uma superfície total de 8 400 km2. É compartilhado entre as Repúblicas do Peru e da Bolívia.
Divide-se em duas bacias: O Lago Maior do Titicaca ou Lago Chucuito, moldurado numa paisagem de picos nevados e alimentado pelo desgelo da cordilheira. Suas ilhas salpicadas de restos arqueológicos são o testemunho do domínio que exerceram as civilizações aymaras.
O Lago Menor do Titicaca ou Lago Wiñay Marka tem uma paisagem excepcional. No panorama apreciam-se pequenas ilhas onde os Aymaras vivem e trabalham a terra e se dedicam à pesca tradicional.

Sítios de Interesse:

Copacabana

(Copa - cahuana) quer dizer "mirante da pedra preciosa". É uma região mística que desborda tradições e relíquias. Foi um centro cerimonial desde as culturas pré-hispânicas e constitui na atualidade um centro de peregrinação.

Ilha de Suriki

Está aproximadamente a 12 km. de Huatajata. Ilha de pescadores e construtores de embarcações ou jangadas construídas de totora (palha do lago).

Sampaya

Povoado pré-colombiano. Por suas ruas empedradas correm ribeiros que com seus canais alimentam os terraços de cultivos do lugar.

Ilha do Sol

Localiza-se no extremo noroeste da península de Copacabana, a uma hora e meia em bote de motor. Possui monumentos pré-colombianos importantes, tais como o Palácio de Pilcocaina, a Chinkana ou Laberinto, a Escalinata do Inka, Fonte da Juventude e os Terraços de Cultivo pré-colombianos.

Ilha da Luna ou koati

Localizada a 7 km. da ilha do Sol. No lugar encontram-se as ruínas do Palácio Iñak Uyu ou Templo da Luna.

TIWANAKU

Localiza-se a 72 km. da cidade de La Paz. É uma monumental estrutura lítica pré-hispânica onde se destacam os seguintes atrativos turísticos:

Sítios de Interesse:

Pirâmide de Pumapunku

Pumapunku ou "Porta do Puma" é um dos templos mais extraordinários, abarca um espaço aproximado de dois hectares. É uma estrutura piramidal em forma de "T".

Pirámide de Akapana

É o monumento mais relevante da cidade pré-colombiana de Tiwanaku. Trata-se de uma pirâmide escalonada, composta por sete plataformas, tem uma altura aproximada de 18 metros.

Monolito Bennett

Monólito "Pachamama" ou Bennett, a máxima expressão da estatuaria lítica de Tiwanaku, pode ser apreciado no Novo Museu de Peças Líticas..

Kantatallita

Kantatayita "Luz do Amanhecer", é uma das peças mais extraordinárias por seus detalhes de acabado, apresenta um friso com minucioso trabalho iconográfico. Por suas características, é provável que esta peça tivesse estado coberta por lâminas de ouro.

Porta do Sol

Monumento conhecido a nível mundial como a maior mostra do grau de perfeição que alcançou a cultura Tiwanakota, tanto pela arte e simbologia que entesouram seus baixos relevos. Trabalho num só bloco de pedra andesita (rocha vulcânica). Seus gravados, em baixo e alto relevo, correspondem a um complicado calendário combinado pelo pensamento religioso e a cosmovisão andina.

Kalasasaya

"Templo das pedras paradas". No interior acham-se o Monólito Ponce, O Fraile, A Porta do Sol, Putuni (onde há ocos). É conhecido como o "Palácio dos Sarcófagos" e Khery Qala. Ao oeste e nordeste destas ruínas se encontra um portão de andesita (rocha vulcânica) conhecido como a Porta da Lua.

Templo Semi-subterrâneo

Esta é uma das mais acabadas realizações arquitetônicas da época do resplendor de Tiwanacu. Acha-se a mais de 2 metros por embaixo do nível da área circundante. De base quase quadrangular, está conformada por muros com 57 pilares de arenito vermelho e silhares do mesmo material. Estes muros são enfeitados interiormente por 175 cabeças encravadas; trabalhadas em pedra caliza. Todas as cabeças são diferentes entre se e mostram rasgos de diversas etnias.

PANTANAL


PANTANAL

PANTANAL. Biodiversidade Incomparável
Situado ao Sudeste de Bolívia fica o pântano de água doce maior do mundo. Abrange as repúblicas de Brasil, Paraguai e Bolívia, cobrindo uma extensão total de 165 000 km2. Sua altura média é de 350 m.s.n.m., e sua temperatura varia entre os 12°C e 24°C, com mudanças estacionais às vezes significativos.
O Pantanal boliviano inicia-se em Puerto Suárez e estende-se até Puerto Busch, no Departamento de Santa Cruz. Compreende uma extensa planície muito lisa na parte superior do rio Paraguai.

O Pantanal Boliviano é um lugar de concentração e conservação dos recantos mais genuínos e selvagens da região. É um ecossistema capaz de proteger uma grande quantidade de espécies de flora e fauna, assim como de vida silvestre numa paisagem de espetacular beleza. O Pantanal Boliviano é uma região apta para pescar, navegar e observar mamíferos, aves e répteis, bem como para realizar safáris fotográficos e camping.

Flora e Fauna

Nesta região encontra-se um dos habitats mais importantes de flora e fauna de Sul-América, reconhecido particularmente por sua enorme quantidade e diversidade de aves, animais aquáticos, mamíferos e répteis. Ademais, dentro da zona encontra-se uma das pescarias de água doce e cristalina mais importante do mundo, onde se registraram 405 espécies de peixes.

O pantanal boliviano também é reservatório de uma grande quantidade de répteis, especialmente jacarés e de serpentes como a anaconda. As borboletas e insetos de todos os tipos são também muito comuns.

Sítios de Interesse:

Puerto Suárez

Localiza-se a 642 km. da cidade de Santa Cruz. É considerado como o porto principal de acesso à zona pantaneira do território boliviano, alem de ser fronteira com o Brasil. Pode-se apreciar muita variedade de flora e fauna. Ressalta a presença de grupos étnicos como os Chiquitanos e os Ayoreos.

Laguna Cáceres

Encontra-se nas orlas de Puerto Suárez. É bem atraente por seus maravilhosos panoramas e paisagens. Suas margens são moradia de batos, tapacarés, jacarés, nutrias e capibaras.

Serrania do Mutún

É uma das maiores jazidas de ferro do planeta.

El Tacuaral

Localizado a 35 km. de Puerto Suárez. É uma zona de bosques baixos e úmidos, onde se prática a pesca e é propicia a observação de flora e fauna.

Puerto Busch

Em sua paisagem ressalta o pantanal boliviano, e ao igual que Puerto Suárez, também alberga grupos étnicos, Chiquitanos e Ayoreos que entesouram suas tradições e costumes.

Rio Paraguai

Acessível através do canal Tamengo, que conecta o coração de América do Sul ao Oceano Atlântico através do rio Paraná e do rio da Prata. Ostenta em suas ribeiras uma diversidade de répteis.

AMAZÔNIA

AMAZÔNIA Natureza e Cultura
A Amazônia Boliviana no norte do território nacional abarca ao redor de setenta por cento do pais, compreendendo os departamentos de Beni, La Paz e sua maior extensão concentra-se no Departamento de Pando. A uma altitude aproximada de 200 a 250 m.s.n.m., com uma natureza selvagem e culturas indígenas que conservam seu hábitat ancestral.
Este paradisíaco lugar compreende a região do Rio "Madre de Dios", na bacia Amazônica Boliviana, o qual assemelha a uma gigantesca anaconda que contorna e troca de cor enchendo de vida tudo quanto existe a seu redor.
A Amazônia Boliviana e um dos habitats de maior biodiversidade do mundo, e caracteriza-se pela existência de grupos étnicos originários que convivem com animais selvagens e exóticos (tigres, macacos, parabas, jacarés, anacondas, etc.). A selva virgem e um sem fim de mil matizes de verde em um espetáculo de árvores gigantescos, vegetação exuberante e flores exóticas.

Lugares de Interese:

Riberalta

Encontra-se ao leste da Amazônia no Departamento de Beni. Pode-se visitar os centros de produção de castanha, as áreas de obtenção de goma e os centros de contato com os povos indígenas.

Lago Tumichucua

A 25 km. de Riberalta em pleno bosque amazônico. O lago destaca-se por uma paisagem exuberante de natureza que o rodeia.

Cachuela Esperanza

A 120 km. de Riberalta ao este da Amazônia no Departamento de Beni. Esta impressionante cascata de aguas e um dos lugares mais belos e com muita tradição histórica da Amazônia

Guayaramerín

Região fronteira com a cidade de Guajará-mirim do Brasil tem atrativos muito importantes em seu redor com as cidades de Cachuela Esperanza e Bella Vista.

TRÓPICO DE COCHABAMBA

TRÓPICO DE COCHABAMBA Natureza Plena
Encontra-se no coração da Bolívia, entre as montanhas da Cordilheira dos Andes e a planície amazônica. Apresenta uma alta diversidade ecológica, onde existem grandes rios, e bosques intermináveis; constitui em um refugio natural para animais selvagens. Em ele moram povos indígenas como os yaracarés, yuquis, sirionós y trinitarios, que mantém suas formas de vida, tradicionais e costumes.
A riqueza da flora e fauna desenvolve-se pela existência dos rios, lagoas e poços, muitos deles transitórios e conformados pelas enchentes que alagam as planícies oferecendo um espetáculo diferente.
Esta região oferece uma singular variedade de flora e fauna que pode ser apreciada ao passar do piso ecológico dos vales ao sub-trópico. A temperatura oscila entre os 18º C y 25º C centígrados, devido a sua altitude sobre o nível do mar que e de 2,704 m. Pode-se apreciar arroios que misturam suas águas para conformar o imponente Amazonas, dos quais se extraem típicos peixes da região; nas selvas podem-se apreciar árvores como mogno, cedro e louro.

Lugares de Interesse:

Villa Tunari

Seus balneários naturais rodeados de montanhas oferecem formosas paisagens naturais, espaços onde acampar, trilhas para caminhadas em meio dos bosques. Pode apreciar se uma revoada de papagaios e "gallitos de roca" como também outras espécies de animais silvestres.

Shinahota

Localidade de espaços naturais, rodeada de espessa e diversificada vegetação, agradável para caminhar a beira do rio e trilhas vizinhas.

Chimoré

Antiga Missão de São Antonio de Padua, cujo nome na língua Yuracaré significa amêndoa.

Puerto Villarroel

Com seu atrativo particular e pequeno eco sistemas aprecia-se a variedade de peixes, jacarés e tartarugas; no Vale de Sacta, encontra-se no bosque latifoliado (folhas largas), considerado como um dos mais importantes do mundo, com árvores que superam os 55m. e grandes volumes de madeira.
Desde este porto navega-se ate Trinidad e outros povoados do Beni.

Parque Nacional Isiboro Sécure

Situado entre os departamentos de Cochabamba e Beni, possui uma grande diversidade geográfica que varia desde os 200 ate os 3,000 m.s.n.m., alberga uma rica fauna e flora, também se encontram 47 comunidades indígenas sentadas no meio dos rios Isiboro, Ichoa e Sécure.

Parque Nacional Carrasco

O Parque Nacional Carrasco possui variedade de pisos ecológicos. Conta com numerosas lagoas com uma fauna e flora exuberante. Um de seus maiores atrativos e a imensa variedade de aves, entre as que destacam-se o guácharo (steatornis caripensis) o pássaro que habita nas Cavernas do Repechón.

CHACO

CHACO Terras Cálidas e Colorido Natural

O Chaco Boliviano está situado ao sul do pais abarca os departamentos de Santa Cruz, Chuquisaca e Tarija e alcança uma altitude de 100 a 400 m.s.n.m., e uma região rica em recursos naturais, paisagismo e culturais; grandes extensões do território chaquenho estão considerados como áreas protegidas, tal como, o Parque Nacional e Área Natural de Manejo Integrado Kaa-Iya, que e o máior de sul América e o mais importante na área de bosque seco; a Reserva Privada de Patrimônio Natural o Corbalán, o Parque Nacional Aguaragüe e a Reserva do Quebracho Colorado.
No Chaco convive diversidade de etnias da nação Guarani que mantém intacta suas costumes, são grandes conhecedores da linguagem do rio, pescadores, artesãos e hábeis criadores de um excelente folclore.
Caudalosos rios da bacia del Plata e do Amazonas atravessam o Chaco constituindo se em espaços para a navegação em canoas.

Lugares de Interése:

Yacuiba

No departamento de Tarija, o atrativo pela sua exuberante vegetação, pequenas populações e sua riqueza natural da fauna e vida silvestre.

El Palmar

Pequeno povoado que se caracteriza pelas palmas que nasce nas areias.

Sanandita

E uma infra-estrutura militar que oferece atividades turísticas de adestramento em uma área desenhada para este fim.

Villamontes

Povoado que possui uma importante bagagem da historia da guerra do Chaco.

Río Pilcomayo

Afluente do rio de la Plata, ideal para esportes aquáticos.

Camiri

Capital petroleira de Bolívia situada no departamento de Santa Cruz, de interese turistico e histórico relacionado com a guerra do Chaco.

TRINIDAD

TRINIDAD Terra de Lombadas Pre- hispânicas

As Lombadas Pre-hispânicas, identificada como as lombadas da cultura amazônica estão situadas ao norte do território boliviano, nos redores de Trinidad, cidade capital do Departamento de Beni, a 156 m.s.n.m.
Cada passo nas Lomas, e um descobrimento de novos horizontes, onde se encontra uma extraordinária conjunção entre natureza viva e historia. Alem de suas belezas naturais conta com arqueologia importante e assentamentos étnicos únicos.

Lugares de Intere:

Lomas Pre-hispânicas

Erguesse quase inconscientes entre os Andes e o rio Guaporé, são plataformas construídas por diferentes civilizações hidráulicas sentadas em esse território faz aproximadamente 5.500 anos. E possível observar em toda sua magnitude a fauna e flora amazônica.
Nestas Lomas tem sido descobertas importantes jazidas arqueológicas das antigas culturas benianas, Alem de historia viva de uma época republicana baseada em exploração de goma e castanha.

Loma Suárez

A 12 km. ao noroeste de Trinidad, as margens do rio Ibare, de águas claras e mornas, onde se aprecia formosos paisagens, assim como aves e animais de diferentes espécimes. A Loma Suárez e testemunha de uma época da riqueza da goma e a castanha emprazada em plena Amazônia. Conta com um importante patrimônio cultural e arquitetônico da época Republicana.

Loma Chuchini

Localizada a 8 km da Loma Suárez, possui um paisagem impressionante de selva tropical, seu nome significa "madriguera do tigre", porque nela existe grande concentração destes felinos. Apresenta trilhas ecológicas que comunicam oito lomas artificiais mediante terraplenes rodeados de terras baixas, formada por bosques, lagoas e lençóis Conta com 90 espécies de avifauna, más de 100 espécies de flora e 15 famílias de peixes; considerado um santuário natural de aves, araras e garças.
Esta impressionante loma data de faz 5,500 anos sendo uma das 20,000 colinas artificiais que integram o sistema hidráulico e agrícola da cultura Moxenha.
Conta com um museu arqueológico com mais de 1000 peças da cultura beniana. No percurso por as lomas, encuentran-se lagoas, variedad de samambaias, e grande quantidade de jacares e outros.

ORURO

ORURO Riqueza Folklórica, Precolombina, Étnica y Natural

Este maravilhoso destino turístico de grande riqueza folclórica, pré - colombina, étnica e natural, encontra-se ao oeste da República de Bolívia, na altiplanicie central, atravessando a Cordilheira dos Andes (Oriental y Ocidental), lagos e salares, com uma altura média de 3,700 m.s.n.m.
O departamento de Oruro, berço de uma das civilizações mais antigas da América "Os Urus", foi um dos núcleos mais importante da Audiencia de Charcas, produto de intensa atividade mineira da época, dotando a Bolívia e ao mundo de enorme riqueza das entranhas de suas montanhas.
Oruro tem sido reconhecida como a capital do Folclore da Bolívia por seus Majestosos Carnavais, declarado pela UNESCO como "Obra Mestra do Patrimônio Oral e Intangible da Humanidade". Conta com importantes centros arqueológicos e históricos, e majestosas igrejas coloniais de grande valor cultural e patrimonial, dignas de ser visitadas pelos turistas do mundo inteiro.

Lugares de Interés:

Parque Nacional Sajama

Situado no extremo noroeste do Departamento de Oruro, em plena cordilheira ocidental dos Andes; e a primeira Área Protegida de Bolívia. Sua identidade está marcada por o vulcão nevado Sajama que esta a 6,542 m.s.n.m. (o pico más alto da Bolívia). Em este importante território, tem seu hábitat singelos bosques de quenhuas (árvores que crescem a maior altitude no mundo), e uma variedade importante de flora y fauna silvestre. Se complementado a paisagem formosas lagoas, águas minerais, gueisers e chulpares de maravilhosos coloridos e de grande valor cultural.

Cuhrahuara de Carangas

Povoado situado na estrada ao Parque Nacional Sajama, possui una formosa e imponente igreja colonial denominada "La Capilla Sixtina del Altiplano" pela impressionante pintura mural que adorna seu interior.

Grupo Etnico Chipaya

E uma das culturas mais antigas do continente. Etnia de origem Uru que habita nas proximidades do salar de Coipasa em uma planície a 3,940 m.s.n.m. O visitante poderá observar suas típicas moradias circulares construídas com "tepes", sua singular vestimenta, com tranças de suas mulheres e conhecer sua enigmática língua própria.

Salar de Coipasa

Situado a 225 km. da cidade de Oruro, e o segundo salar mais importante de Sul América e forma parte da Rota Turística Inter salar. Destino único no mundo porque possui um lago interior rodeado de serranias e imponentes bosques de kactus que complementam a paisagem. Este formoso salar e denominado "O Espelho do Céu".

Complexo Arqueológico Alcaya

Esta importante cidadezinha pré colombina, se situa no extremo sul do departamento nas cercanias do salar de Uyuni, a 287 Km. da cidade de Oruro. O visitante pode observar impressionantes múmias, moradias circulares construídas em pedra, terraços agrícolas e um singular cemitério subterrâneo, alem de formosas peças de cerâmica, sesteia e tecidos pré colombinos.

Lago Poopó e os Urus

O Poopó denominado "O Umbigo do Mundo", e o segundo lago com mais importância da Bolívia, com una superfície de 4.250 km². apresenta uma paisagem maravilhosa como os flamencos andinos, patos silvestres e outras espécies de aves, pelo qual foi declarado SITIO RASMAR pela qualidade de seu hábitat para as especies silvestres de flora e fauna. Em suas margens habita etnias Uru de ancestrais de origem: Muratos, Llapallapanis e outros.

A Atlântica Perdida

Situada no povoado de Pampa Aullagas no extremo sul do Lago Poopó, onde o cientista Jim Allen tem identificado em base a discrições de Platón, importante construções de canais circulares na base da montanha principal, e outras de diferente traçado que cobrem o altiplano circundante, dando lugar ao desenvolvimento de esta maravilhosa e mítica civilização.

CARNAVAL DE ORURO Patrimônio Oral e Intangível da Humanidade
A maior expressão cultural do folclore boliviano, e o Carnaval de Oruro "OBRA MESTRA DO PATRIMÔNIO ORAL E INTANGÍVEL DA HUMANIDADE" (UNESCO), e uma festividade religiosa de devoção a Nossa Senhora do Socavón, na que rende tributo com música e dança.
Esta manifestação de folclore, tem origem na antiga Cultura Uru e caracteriza-se por seu colorido, arte de desenho de suas fantasias e expressões que convergem de diferentes culturas; ritos y tradições dos participantes nesta festa, acompanhados de ritmos de bandas e músicos que fazem o deleite do público. Esta expressão de folclore prepara-se co,n muita antecipação e enumeráveis cerimônias e rituais ao longo do ano.
A apresentação mais transcendental e o dia sábado de peregrinação, quando os dançarinos percorrem as diferentes ruas da cidade para finalizar no santuário de Nossa Senhora do Socavón, onde recebem a benção pelo pároco e posteriormente desfilam de joelhos diante da imagem da santa.

Danças Representativas:

La Diablada

E a dança emblemática do Carnaval de Oruro que se origina em ancestres milenários e o descobrimento da milagrosa Nossa Senhora da Candelária na guarida do famoso ladrão Nina Nina, como conta a lenda. Esta dança e a representação da luta entre o bem e o mau.

La Morenada

A sua origem se remonta ao trabalho dos escravos negros na época da colônia. E uma sátira aimará a esta realidade e aos métodos utilizados pelos conquistadores no trabalho diário nas minas e na pisa da uva pelos negros. E também a amostra da melancólica manifestação do sofrimento pelo maltrato que receberam.

Los Caporales

Esta dança de recente criação, e a representação e a sátira ao escravo negro que tinha a função de capataz para reprimir aos da sua mesma raça e controlar o trabalho diário.

Tinku

(Encontro), a essência de esta dança esta nos combates cruentos entre Laimes y Jukumanis, comunidades que através dos anos empunharam manoplas, ondas e usarão chapéus de couro inteiro cujo modelo se assemelha ao capacete espanhol dos conquistadores.

Pujllay

Representa à floração dos campos, a festa tem inicio na cerimônia da fecundidade e caracteriza-se por sua música e dança épico guerreira autóctone na localidade de Tarabuco.
Outras danças que participam no majestoso Carnaval de Oruro se encontram na sua diversidade e na manifestação de nossa cultura representadas com danças como: Ahuatiris, Suri Sicuris, Incas, Kallawayas, Doctoricitos, Tarqueada. Kantus, Potolos, Tobas entre muitas outras que fazem de esta festa uma demonstração excepcional da cultura e folclore.

Mitología:

As Formigas. A lenda diz que as dunas de areia como produto de encantamento de milhares de formigas que formaram parte de una legião destrutora integrada alem do sapo e a cobra, que deviam exterminar aos Urus, foi então que o poder celestial de una Ñusta acabou com esta praga convertendo-a em areia.
A Cobra Conta a lenda que Huari enviou também a uma enorme cobra para dar fim com os Urus e que graças ao encanto de la Ñusta petrificou-se convertendo-a em uma serpenteaste formação rochosas que e possível observar na zona sul da cidade de Oruro.
O Sapo Enorme pedra com aparência de um enorme sapo, forma parte da lenda dos Urus, onde a protetora do povo fez girar sua onda que chego na boca do monstro e o converteu em outra deidade lítica da região.
O lagarto Huari enviou um grande lagarto desde Japo y Morococala, que vinha azotando os cerros com seu enorme rabo, a protetora mulher de ocultas forças sai ao encontro do gigantesco lagarto que com sua espada separou o corpo da cabeça convertendo a este em uma rocha. Localiza-se no setor de Cala Cala, zona este da cidade de Oruro.
Para maio informação visite o site: www.turismobolivia.bo

Para maio informação visite o site: www.turismobolivia.bo

 
Ánfora virtual - Transparencia
La Unidad de Transparencia, del Ministerio de Relaciones Exteriores de Bolivia ha implementado un Ánfora Virtual, para mantener un contacto directo con la Unidad de Transparencia. Invitamos a que puedan ingresar a ésta para realizar dicho contacto.
Boletín Consular
Bolivia te espera
¿Cómo importar su menaje doméstico a su retorno a Bolivia?
Enlaces